Sexta-feira, 29 de Fevereiro de 2008

Manifesto anti-futurista

Não volto a ficar à espera do futuro. Ele nunca chega a horas.

publicado por Clara Umbra às 18:12
link do post | comentar
Quinta-feira, 28 de Fevereiro de 2008

Problemas de lateralidade

Há dias em que não consigo contornar os problemas, tenho de os criar.

publicado por Clara Umbra às 12:08
link do post | comentar | ver comentários (8)
Terça-feira, 26 de Fevereiro de 2008

Minnesota [truly, truly] nice

Mesmo ainda sem ter visto o novo dos Coen, digo já que dificilmente é melhor do que o Fargo – paciência, esse é o tipo de pessoa que eu sou.

E porquê – perguntam vocês – pode saber-se?

Pode. Porque, entre milhentas outras coisas, tem uma das mais belas cenas de amor da história do cinema. Não, não é uma cena de sexo, eles não são os jeitosos típicos e, embora estejam na cama, estão cheios de roupa. Norman, não muito entusiasmado, conta a Marge que o selo que ele fez foi um dos escolhidos para ser posto em circulação, mas apenas para o valor de 3 cents. Ela diz-lhe que isso é óptimo, que está muito orgulhosa dele... mas ele responde que os selos pequenos não se usam muito... E é então que ela afirma, veemente, «claro que usam, quando sobem os preços do correio, as pessoas precisam dos pequenos, quando ficam com uma data deles antigos.» «É? Se calhar...», diz ele, mais animado.

Isto assim contado não mete grande piada, mas, visto no filme, garanto-vos, é um raio de uma bela definição de amor.

 

 

 

publicado por Clara Umbra às 12:51
link do post | comentar | ver comentários (12)
Segunda-feira, 25 de Fevereiro de 2008

Obrigados pelo destaque, Sapo, eu e o Nuno Markl agradecemos

Graças ao destaque dado pelo Sapo a este blogue, já me visitaram hoje 428.427.653 pessoas de todo o universo, incluindo o ficcional.
Parece muito, mas não é, tendo em conta que a página da Hillary Clinton já conta com 428.427.655 visitas, a da Doris Lessing com 428.427.654 e a da Pamela Anderson com 938.561.740 – e eu sou uma bela mistura, equilibrada e explosiva a um tempo, das três.
Assim sendo, quem lucrou verdadeiramente com este destaque? O Há Vida em Markl, que ninguém conhecia, mas que toda a gente hoje visitou porque o tenho linkado aí ao lado. Pá, assim também eu era famosa.
publicado por Clara Umbra às 14:56
link do post | comentar | ver comentários (14)
Domingo, 24 de Fevereiro de 2008

Peregrinatio ad loca sancta

Hoje, domingo, fui ao hipermercado. Sim, foi uma ideia peregrina.

Esbarrei em 79,9 pessoas – o 0,9 diz respeito a algo que não era bem uma pessoa, era um daqueles vegetais, da família das trepadeiras, que se arrastam por entre as prateleiras.

Disse "perdão" 40 vezes e "desculpe" 39 – ao vegetal não disse nada, claro, respeito a biodiversidade mas nem tanto.

 

publicado por Clara Umbra às 18:19
link do post | comentar | ver comentários (10)
Sábado, 23 de Fevereiro de 2008

Ground Control to Major Tom

– Aqui unidade especialista em charadas e e-vidências, escuto!

– Viva! Há novidades?

– Sim: cruzando as últimas notícias com as informações das capitais, cheguei ao centro SNOVA; a partir daí foi fácil.

– Eu sabia que você chegava lá, se seguisse as minhas pistas. Então e o Skywalker?

– Genial, apenas um problema de ordem estatutária em personal data... o mundo não é perfeito.

– Não é. «Eu nunca acreditei em Deus. Mesmo que exista, fez tão mal o trabalho que até admira que as pessoas ainda não o tenham processado.» Já lhe falei deste filme do...

– Woody Allen, cem vezes, a cena do funeral. «Ele não era ateu nem republicano, nem sequer democrata. Era fetichista de pés. Só me lembro de ele ter pertencido a esse grupo.»

– Ok, ok... É que é dos melhores funerais da história. Uma gajo morre e apenas foi "foot fetichist"...! Até logo, então.

– Até sempre, continuo por aqui, à espera.

 

publicado por Clara Umbra às 15:18
link do post | comentar | ver comentários (4)
Sexta-feira, 22 de Fevereiro de 2008

OK Computer

Eu já achava que software era a minha cara, mas acabo de descobrir pretty html...

publicado por Clara Umbra às 20:09
link do post | comentar

Do uso da forca

Nas discussões gosto de ser neutral. Quando uma pessoa não concorda comigo, neutralizo-a, servindo-me do que tenho à mão, por exemplo uma corda.

publicado por Clara Umbra às 16:17
link do post | comentar | ver comentários (5)
Terça-feira, 19 de Fevereiro de 2008

Parallel realities

Não sabia que havia professores socialistas. Sabia que havia professores de Matemática, de Inglês...

Onde é que se tira esse curso?

publicado por Clara Umbra às 15:48
link do post | comentar | ver comentários (7)
Segunda-feira, 18 de Fevereiro de 2008

Chuva dissolvente

Tinha uma piada tão fixe para chutar aqui, mas já me esqueci.

 (E o que foi feito de ti? Lai lá lai lá lai lá...)

publicado por Clara Umbra às 18:55
link do post | comentar
Domingo, 17 de Fevereiro de 2008

Afecto em polpa

O domingo é um mau dia para visitar a família. Está muito concentrada, cai-me mal.

publicado por Clara Umbra às 21:05
link do post | comentar
Quinta-feira, 14 de Fevereiro de 2008

Amor é o amor é o amor é o amor, por Clarude Umbrein

Porque o dia se presta a frases feitas, mensagens standard, mails forward e cenas do género, se querem enviar alguma coisa de jeito a alguém que queiram impressionar, enviem isto. O êxito é garantido.

          

                Amor terreno

Quem o amor imagina, sem o conhecer,

não sabe o que perde quando imagina;

menos do que nada vale o saber

perante o que o coração nos destina.

 

Um rosto que se abre num sorriso

e limpa do céu todo o cinzento;

uns lábios que trazem loucura e siso

e na alma abrandam o mais alto vento.

 

Pode falar-se do que é o amor,

rodeá-lo de análises e teorias;

é como um cego a descrever a cor,

 

ou um surdo sonhando melodias.

Só quem ama conhece a verdade

em que a ilusão se faz eternidade.

 

Nuno Júdice, Cartografia de Emoções

publicado por Clara Umbra às 10:54
link do post | comentar | ver comentários (8)
Terça-feira, 12 de Fevereiro de 2008

Bach e o bacilo de Koch

Chego a casa no fim de um dia estúpido.

O dia estúpido é, por definição, aquele que não correu nem bem nem mal  e cuja ausência de vida seria sonoramente assinalada por um piiiiiiiiiii, devidamente acompanhado da respectiva linha contínua, caso trouxéssemos às costas aquelas máquinas hospitalares, o que, pensando bem, seria um incómodo para a coluna e um embaraço para os nossos ouvidos, que, diante de alguém que nos despertasse emoções mais violentas  fossem elas de agrado ou desagrado  teriam de ouvir o que mais abaixo o coração lhe gritava, sem o disfarce do corpo que como cortina grossa estanca as vibrações que a cabeça não permite.

Pego num CD que já não ouço há muito tempo –  e em cujas primeiras faixas o Sviatoslav Richter, num registo ao vivo feito há mais de quarenta anos, toca Prelúdios e Fugas de Bach, que é coisa capaz de, mesmo nos dias mais estúpidos, me devolver a confiança na vida, não obrigatoriamente na minha, mas pelo menos naquela que se convencionou escrever com maiúscula, como forma de a elevar à categoria de coisa geral  –; aterro no sofá.

Encosto a cabeça e suspiro. Um daqueles suspiros que se dão nestas ocasiões e que, sendo diferentes de todos os outros suspiros que damos nas mais diversas ocasiões, são a expressão respiratória do pré-prazer que toma conta de nós, quando sabemos que estamos na iminência de nos sentirmos muito bem. O que sucede a seguir ninguém sabe, mas esse limiar do prazer já ninguém no-lo tira, e isto não podemos afirmar de muitas coisas no mundo.

Primeiras notas de Bach e alguém na plateia tosse (recordo que é uma gravação antiga e ao vivo). O Richter continua e uma segunda pessoa tosse, terceira, quarta, décima  toda a plateia é uma tosse convulsa e coral (é sabido que nestas coisas primárias como tossir, bocejar ou ter vontade de ir à casa-de-banho, basta alguém começar para logo toda a gente se unir numa solidariedade democrática, animal e unificadora até das almas mais desavindas).

Lembram-se da cegueira do Ensaio do Saramago que afectava toda a gente menos a mulher do médico? Eu sou a mulher do médico  todas as pessoas do mundo tossem menos eu,  que, não sendo uma categoria da narrativa, dou por mim a sentir primeiro uma ligeira comichão na garganta, que logo passa a pigarro, e daí à verdadeira tosse é um salto bem mais fácil de explicar que o quântico. Depois disto, o dilúvio: na minha cabeça já só há sanatórios do Caramulo e traqueostomias, e eu, que me queixava de um dia estúpido e quase invejava ter tido um dia verdadeiramente deprimente, agora que estou num dia deprimente já só queria estar num dia simplesmente estúpido.

Não imagino o que sente o pianista porque nunca estive em tal situação  não distingo um dó de um sol, quanto mais domar um Steinway. Não sei se eles se conseguem abstrair das veleidades esofágicas e faríngicas de quem os ouve, ou se ficam com vontade de fazer estalar cada uma das cabeças que tosse debaixo do tampo do piano, como se estivessem a manipular o quebra-nozes  e aqui não me  refiro ao do Tchaikovsky, mas ao objecto metálico com que se partem as nozes e que, aproveito para dizer, me lembra muito o artefacto com que a minha ginecologista me faz a citologia, aquele exame a que vulgarmente se chama Papanicolau (nome que também nunca percebi se era uma homenagem de mau tom a algum sumo pontífice, se uma designação de mau gosto que, chamando papa ao dito objecto, chama nicolau ao que cada mulher tem de mais íntimo no seu corpo).

Regresso ao momento em que entrei em casa e optei por aquele CD específico, questionando-me sobre o que teria acontecido se eu não o tivesse escolhido  como a Gwineth Paltrow naquele filmito em que, se regressa a casa, surpreende o namorado com outra, e tudo vai por água abaixo, se não regressa, fica sem saber o que se passa, mas tudo acaba por ir por água abaixo de qualquer forma.

Vejam agora como tudo é relativo e como o mundo é pequeno: água era precisamente do que aquelas gargantas precisavam de levar por si abaixo para não me lixarem o dia, que, como julgo ter demonstrado, estaria lixado de qualquer forma porque esse é o sentido de alguns dias  serem lixados.

publicado por Clara Umbra às 22:39
link do post | comentar | ver comentários (2)
Segunda-feira, 11 de Fevereiro de 2008

Crime passional

Quadros de Cézanne, Degas, Van Gogh e Monet foram roubados, ontem, de um museu de Zurique. O ladrão era amante da Arte.

publicado por Clara Umbra às 13:03
link do post | comentar | ver comentários (16)
Domingo, 10 de Fevereiro de 2008

Coisas como esta arruínam-me a auto-estima

Comer caldo verde e manter a dignidade é impossível; há sempre um fio de couve que me fica, pendurado, a pingar no queixo; não é bonito de se ver.

publicado por Clara Umbra às 21:49
link do post | comentar | ver comentários (5)
Sábado, 9 de Fevereiro de 2008

Clair de lune

Há um lado meu – muito primário, dou de barato – que gosta de imaginar que o Júlio Machado Vaz e a Ana Mesquita vão ter um romance. Ou vão para a cama, vá! Sob o luar de Serralves, até, por exemplo. Enfim, ideias não me faltam. É tão bom ouvi-los falar sobre sexo que eles têm de o saber fazer bem. Um com o outro, quero eu dizer.
Isto foram muitos anos à espera que isso acontecesse com o David e a Maddie.
publicado por Clara Umbra às 21:25
link do post | comentar | ver comentários (2)
Sexta-feira, 8 de Fevereiro de 2008

O John Gray é um fixe

John Gray postula que a boa-disposição é, em termos genéricos, mais importante do que a esperança.

Ora, esperança... esperança... vêm-me  à cabeça imagens de freiras de viola às costas, imagens de politiqueiros em discurso...

Bom-humor... penso no bom-humor de umas quantas pessoas  ainda que sejam génios profusamente atormentados... 

Não tenho dúvidas  não precisamos de quem nos diga que vai correr tudo bem, precisamos de quem nos faça correr tudo bem.

 

[Eh! lá, isto saiu assim um bocado à Dr. Phil, mas agora já não lhe mexo.]

publicado por Clara Umbra às 12:53
link do post | comentar | ver comentários (12)
Quinta-feira, 7 de Fevereiro de 2008

Tertúlia cor-de-rósia

Pá! Tenho de dizer que acho fixe que o Sarkozy e a Bruni (independentemente de todo o show off parolo que têm cultivado) tenham decidido casar para, de acordo com a imprensa nha nha nha (com que este blogue hoje se mistura, reconheço), contornar as obrigações protocolares a que o senhor presidente está obrigado e assim poderem... coiso à vontade deles!

Vocês vão dizer "Ah! e tal, não vai durar, o que eles querem sei eu... é uma fantochada..." Meus amigos, pensem, o que é que dura? Não tenho pachorra para argumentos moralistazinhos e atávicos.

Inscreveram-se, ponto. E eu gosto de malta que se inscreve.

Adenda: para perceberem a do "inscreveram-se", têm de ler Portugal, hoje - o medo de existir, do José Gil. Ah! pois, que uma Clara Umbra não se faz só a ler o Vida e Lazer do Sapo.

publicado por Clara Umbra às 13:47
link do post | comentar | ver comentários (4)

Planta de emergência

No meu estirador faltam dois quartos para o fim-de-semana.

publicado por Clara Umbra às 11:26
link do post | comentar
Terça-feira, 5 de Fevereiro de 2008

Última flor do Lácio inculta e bela

Quando Olavo Bilac escreveu este famoso soneto, não tinha ouvido, certamente, a fantástica expressão "pular o Carnaval"... ou teria mudado de ideias quanto à Língua Portuguesa.

Eu também pulava o Carnaval, com gosto - passava do Natal para a Páscoa, directamente.

publicado por Clara Umbra às 22:44
link do post | comentar

BANIF ou a arte de deixar os créditos por mãos alheias

O anúncio publicitário a que hoje se refere o Produções Anacrónicas é realmente espantoso, e eu não podia deixar de me associar, de forma sentida, a essa homemagem.

Quando o vejo, só me apetece sair a urrar pelas planícies e enfiar-me no primeiro estábulo que encontrar. E eu nem sou grande frequentadora de estábulos, só lá vou mesmo quando nasce um bebé de alguém dos meus conhecimentos.

publicado por Clara Umbra às 18:21
link do post | comentar
Segunda-feira, 4 de Fevereiro de 2008

Ui que prazer

«Diana Chaves, Marisa Cruz e José Cid são os principais cartões de visita para o Carnaval deste ano no Algarve, onde não vão faltar os desfiles, bailes e teatro de revista, noticia a Lusa.» (http://www.portugaldiario.iol.pt/noticia.php?id=908426)

Adoro os cartões citados (e a metáfora original), adoro desfiles, bailes e teatro de revista, logo, não me digam mais nada que ainda desato aos pulos.

 

publicado por Clara Umbra às 14:25
link do post | comentar | ver comentários (22)
Domingo, 3 de Fevereiro de 2008

De peito acerto

Retomado o assunto do post anterior, se as almas andassem à mostra, como as mãos, seria muito mais fácil reconhecer a alma gémea, quando a apertássemos. 

P.S. Quando penso nisto, chego a compreender o drama dos morcegos que andam a ser dilacerados pelas antenas eólicas... embora eles devessem perceber que aquele romance não ia resultar e que ia ser de cortar à faca.

publicado por Clara Umbra às 18:30
link do post | comentar | ver comentários (10)
Sábado, 2 de Fevereiro de 2008

Buracos negros

Eu sou uma romântica incurável. Mesmo nas comédias românticas com happy end, choro no final, porque sei que aquilo não vai durar mais de três semanas...

publicado por Clara Umbra às 00:35
link do post | comentar | ver comentários (8)
Sexta-feira, 1 de Fevereiro de 2008

Despedimentos na função pública - Ecrã total

O Primeiro Ministro vai levar o choque tecnológico até às últimas consequências. Fonte fidedigna garante que ele afirmou pretender «limpar o ambiente de trabalho, pois há ícones que não estão a ser utilizados».

publicado por Clara Umbra às 12:39
link do post | comentar | ver comentários (10)

INTRO

DISCLAIMER

Este é um blogue de ficção. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, factos ou situações da vida real terá sido mera coincidência. Ou fruto da imaginação do(a) leitor(a) - o que é bom.

DOWNBEAT

SEHNSUCHT

BACKYARD

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Dezembro 2015

Julho 2015

Maio 2015

Dezembro 2014

Setembro 2014

Fevereiro 2014

Dezembro 2013

Julho 2013

Novembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

EMBERS

blogs SAPO

subscrever feeds

Sitiométrio

Add to Technorati Favorites