Domingo, 31 de Julho de 2016

“Se puderes olhar, vê. Se puderes ver, repara” *

20150815_152932-cópia.jpg

(foto Clara Umbra)


“O mundo é uma representação minha.” (A. Schopenhauer)
"Vermos o que está à frente do nosso nariz implica uma luta constante." (G. Orwell)

*José Saramago

publicado por Clara Umbra às 21:45
link do post | comentar
Domingo, 24 de Julho de 2016

Não há mais sublime sedução do que saber esperar alguém

11987022_963716643669696_3358665276439319208_n.jpg

(foto Clara Umbra) 

 

Não há mais sublime sedução do que saber esperar alguém.
Compor o corpo, os objectos em sua função, sejam eles
A boca, os olhos, ou os lábios. Treinar-se a respirar
Florescentemente. Sorrir pelo ângulo da malícia.
Aspergir de solução libidinal os corredores e a porta.
Velar as janelas com um suspiro próprio. Conceder
Às cortinas o dom de sombrear. Pegar então num
Objecto contundente e amaciá-lo com a cor. Rasgar
Num livro uma página estrategicamente aberta.
Entregar-se a espaços vacilantes. Ficar na dureza
Firme. Conter. Arrancar ao meu sexo de ler a palavra
Que te quer. Soprá-la para dentro de ti -------------------
----------------------------- até que a dor alegre recomece.

 
Maria Gabriela Llansol, O começo de um livro é precioso. Lisboa: Assírio & Alvim, 2003.
publicado por Clara Umbra às 21:15
link do post | comentar
Quinta-feira, 14 de Julho de 2016

Regressar à tua pele

Quem foi que à tua pele conferiu esse papel

de mais que tua pele ser a pele da minha pele?

Cintilação de luas
assim que te desnudas

às escuras

Diante do teu ventre

como não dizer “sempre”

novamente.

Ó lâmina e bainha

de outra espada ainda

Tua língua

Ruge. Reprende. Arrasa
Desde que sempre o faças
com as asas

Vem dos arcanos de outro tempo
ou dos anéis de outra galáxia
esta espessura transparente

que só na cama as almas ganham

David Mourão Ferreira, Pequenos poemas

publicado por Clara Umbra às 23:49
link do post | comentar
Quarta-feira, 13 de Julho de 2016

Western spaghetti com gato em coda

É capaz de ser o melhor gif de sempre, é um western spaghetti com gato em coda, sou eu em countdown.

 

publicado por Clara Umbra às 13:07
link do post | comentar
Domingo, 10 de Julho de 2016

De partida para Saint-Denis

Hieronymus_Bosch_008.jpg

Jerónimo Bosch, Tentações de Santo Antão (pormenor), Museu Nacional de Arte Antiga.

publicado por Clara Umbra às 19:14
link do post | comentar

Para sempre, para lá do tempo, para lá do espaço

EC_0753pm_LightningFeild_New_Mexico_V2B_LR.jpg

Eric Cahan  (The Lightning Field, NM ; Sunset 7:52pm)

 
Vinte e um mil metros

Comi pão e queijinho fresco, taça tinta, levo-te uma chamuça
mesmo indiana, limpei a gordura ao secador de mãos, que detestas.
Lembrei-me de pouco melhor, fiz-te uma animação, muito caía,
catorze vidas, balas pretas e bonecos inimigos, legendas.

Seres longe, obriga-me a ser lapiseira, amanhã
carteiro, depois já como queres.

Se não te doesse, não me corria.
 
Nuno Moura, Soluções do Problema Anterior
 
publicado por Clara Umbra às 00:05
link do post | comentar
Sábado, 9 de Julho de 2016

Deus é um boomerang

Upper Body of a Queen | Hellenistic period, second

Busto de uma rainha; período helénico, séc. II a. C.; Pérgamo; 
Museu de Berlim.

 

 

Deus é um boomerang

e eu sou a sua filha pródiga

Adília Lopes

publicado por Clara Umbra às 20:04
link do post | comentar
Quarta-feira, 6 de Julho de 2016

Tiquetaque, faz o relógio

47753_141908495850519_3947427_n.jpg

(foto Clara Umbra) 

 

Imagino este momento à meia-noite na floresta:

Outras coisas vivem

Para além da solidão do relógio

E desta página em branco onde os meus dedos se movem.

    Pela janela não vejo estrelas:

    Algo mais próximo

    Mas fundo na escuridão

    Vai entrando na solidão:

Frio e delicado como a escura neve,

Um nariz de raposa aflora um caule, uma folha:

Dois olhos fazem um movimento breve

E de novo breve, breve, breve

    Deixa claras impressões na neve,

    Entre as árvores. Hesitante,

    Uma sombra avança devagar,

    Acoitada em troncos e buracos,

    A sombra de um corpo que ousa revelar-se

Através das clareiras, um olho,

Uma crescente verdura escurecente,

Brilhantemente, concentradamente

Ocupada a tratar da vida

    Até que, com um súbito e intenso odor a raposa,

    Entra no buraco negro da cabeça.

    A janela ainda está sem estrelas; tiquetaque, faz o relógio,

    A página está impressa.

 

Ted Hughes, The Hawk in the Rain

publicado por Clara Umbra às 18:52
link do post | comentar
Sábado, 2 de Julho de 2016

A santíssima trindade e o divino

 

Música: Filho da Mãe; Letra: André Henriques; interpretação: Cristina Branco.

 
 
publicado por Clara Umbra às 16:28
link do post | comentar

INTRO

DISCLAIMER

Este é um blogue de ficção. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, factos ou situações da vida real terá sido mera coincidência. Ou fruto da imaginação do(a) leitor(a) - o que é bom.

DOWNBEAT

SEHNSUCHT

BACKYARD

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Dezembro 2015

Julho 2015

Maio 2015

Dezembro 2014

Setembro 2014

Fevereiro 2014

Dezembro 2013

Julho 2013

Novembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

EMBERS

blogs SAPO

subscrever feeds

Sitiométrio

Add to Technorati Favorites