Segunda-feira, 19 de Maio de 2008

Serenade for the renegade

Eu sei que o que vou dizer é capaz de ser um bocadinho a atirar para o sacrílego para muita gente, mas ainda assim vou dizê-lo: estou farta da Selecção, do Europeu... e ainda agora isto começou. Farta das bandeiras nas casas, da obsessão da imprensa, de saber a dieta dos jogadores, as horas que dormem, dos palpites dos populares, dos prognósticos dos iniciados, de estarem dois buracos do Golfe Montebelo fechados para os jogadores andarem lá a correr, como se não houvesse em Viseu e arredores montes e serranias onde se exercitarem e, finalmente, mas não num nível de irritância menor, de só aparecerem viseenses na televisão que pronunciam o "s" ápico-alveolar, ou, sendo mais minudente, aquele "s" em que o ápex da língua toca os alvéolos – da boca, pois claro.

Se pudesse, mudava de país durante o Euro, e não digo isto da boca para fora, embora também o diga da boca para fora, uma vez que, e para concuir a aula de fonética, a nossa língua é produzida na expiração.

publicado por Clara Umbra às 23:19
link do post | comentar
17 comentários:
De Moyle a 20 de Maio de 2008 às 02:14
quando eu li «em que o ápex da língua toca os alvéolos» deu-se em mim uma reacção que... bom, suficiente será dizer que, felizmente, estava sozinho... temper temper, minha cara. ainda lhe rebenta uma artéria nessa cabecinha... compreendo, sinceramente que compreendo, mas tanto radicalismo vai fazer da Clara uma Pacheca Umbreira.

[depois desta admito que que o Moyle se torne persona non grata, mas não foi por mal]
De Clara Umbra a 20 de Maio de 2008 às 11:31
A descrição da forma como o dito "s" é produzido (o "ponto de articulação", para ser absolutamente rigorosa) é mesmo aquela... se isso te excita, não tenho culpa, a taradice é tua... OK?
De qualquer forma, pessoalmente, acho muito fixe que isso te excite.
De Moyle a 20 de Maio de 2008 às 22:42
Clara Umbra é nome ou pseudónimo para Maria Raquel Delgado-Martins?
De Clara Umbra a 21 de Maio de 2008 às 01:39
Clara Umbra é nome, verdadeiro; não tem pseudónimo, nem sinónimo, nem antónimo... nem nada. Tem depressões e neuras, apenas. E o coração partido. E este HP onde escreve. E agora também tem sono, porque, sendo uma mulher de gostos caros, tem de trabalhar arduamente para se sustentar (já tentou o marido rico, mas sem resultado; a prostituição está fora de hipótese porque deve ser uma canseira).
De Moyle a 21 de Maio de 2008 às 16:44
fiquei indeciso entre esta:

Another red letter day
So the pound has dropped and the children are creating
The other half ran away
Taking all the cash and leaving you with the lumber
Got a pain in the chest
Doctors on strike what you need is a rest

Its not easy love but youve got friends you can trust
Friends will be friends
When youre in need of love they give you care and attention
Friends will be friends
When youre through with life and all hope is lost
Hold out your hands cos friends will be friends right till the
End

Now its a beautiful day
The postman delivered a letter from your lover
Only a phone call away
You tried to track him down but somebody stole his number
As a matter of fact
Youre getting used to life without him in your way

Its so easy love cos you got friends you can trust
Friends will be friends
When youre in need of love they give you care and attention
Friends will be friends
When youre through with life and all hope is lost
Hold out your hands cos friends will be friends right till the
End

Its so easy love cos you got friends you can trust
Friends will be friends
When youre in need of love they give you care and attention
Friends will be friends
When youre through with life and all hope is lost
Hold out your hands cos friends will be friends right till the
End

Friends will be friends
When youre in need of love they give you care and attention
Friends will be friends
When youre through with life and all hope is lost
Hold out your hands cos right till the end-
Friends will be friends

e esta:

Can anybody find me somebody to love?
Each morning I get up I die a little
Can barely stand on my feet
Take a look in the mirror and cry
Lord what youre doing to me
I have spent all my years in believing you
But I just cant get no relief,
Lord!
Somebody, somebody
Can anybody find me somebody to love?

I work hard every day of my life
I work till I ache my bones
At the end I take home my hard earned pay all on my own -
I get down on my knees
And I start to pray
Till the tears run down from my eyes
Lord - somebody - somebody
Can anybody find me - somebody to love?

(he works hard)

Everyday - I try and I try and I try -
But everybody wants to put me down
They say Im goin crazy
They say I got a lot of water in my brain
Got no common sense
I got nobody left to believe
Yeah - yeah yeah yeah

Oh lord
Somebody - somebody
Can anybody find me somebody to love?

Got no feel, I got no rhythm
I just keep losing my beat
Im ok, Im alright
Aint gonna face no defeat
I just gotta get out of this prison cell
Someday Im gonna be free, lord!

Find me somebody to love
Can anybody find me somebody to love?

mas entre as duas lá se há-de arranjar qualquer coisa:)
De Clara Umbra a 21 de Maio de 2008 às 20:23
"Imigrante vem devagar por favor,
temos muito tempo para lá chegar
e depois, lá diz o velho ditado:
Mais vale um minuto na vida,
do que a vida num minuto."

Passou-se no mês de Agosto,
este drama tão cruel
de um imigrante infeliz
Foi tanta a pouca sorte,
na estrada encontrou a morte
quando vinha ao seu país
Do trabalho veio a casa,
preparou a sua mala
e partia da Alemanha
Mas seu destino afinal
acabou por ser fatal
numa estrada em Espanha
Dizem aqueles que viram
que ele ia tão apressado
a grande velocidade
Foi o sono que lhe deu
o controlo ele perdeu
desse carro de maldade

Foi o sono que lhe deu
o controlo ele perdeu
desse carro de maldade

Trazia na sua mente
ir ver o seu pai doente
que estava no hospital
Na ideia um só pensar
o seu paizinho beijar
ao chegar a Portugal
Mas tudo foi de repente
partiu de Benavente
o drama aconteceu
Ele vinha tão cansado
de tanto já ter rolado
e então adormeceu
Nada podendo fazer
num camião foi bater
e deu-se o choque frontal
Seu carro se esmagou
e desfeito ele ficou
num acidente mortal

Seu carro se esmagou
e desfeito ele ficou
num acidente mortal

Ele não vinha sozinho
trazia também consigo
sua mulher e filhinho
Sem dar conta de nada
e naquela madrugada
morrem os três no caminho
Quando a notícia chegou
no hospital alguém contou
o desastre que aconteceu
Seu pai que tanto sofria
nunca mais o filho via
fechou os olhos morreu
Imigrantes oiçam bem
não vale a pena correr
porque pode ser fatal
Venham todos devagar
há tempo para cá chegar
e abraçar Portugal

Venham todos devagar
há tempo para cá chegar
e abraçar Portugal

Isto, sim, define o meu estado de espírito! Só o Graciano Saga me compreende. Podes ver e ouvir em http://www.youtube.com/watch?v=_piSc0NMKGk... e chorar comigo.
De Moyle a 22 de Maio de 2008 às 23:40
deus caminhava a terra, acercou-se de um homem que chorava e perguntou-lhe:

- porque choras irmão?
- choro porque sou cego!
- não chorarás mais!

e o homem, que viu toda a luz que lhe tinha sido negada, prostou-se-lhe aos pés em agradecimento, jurou-lhe uma vida de dedicação e partiu com o peito a rebentar de felicicdade.

continuando a caminhar a terra, aproximou-se de outro homem que chorava e perguntou-lhe:

- porque choras irmão?
- choro porque perdi toda a minha família num incêndio e quase não consigo suportar a dor.
- vai para tua casa e lá encontrarás os teus de saúde e ansiosos pelo teu abraço.

e o homem prostou-se-lhe aos pés, devotando-se a espalhar a palavra de deus a toda a humanidade e partiu mais radiante que o sol levante numa manhã de janeiro.

deus continuou a caminhar a terra e chegou junto de uma mulher que chorava e perguntou-lhe:

- porque choras irmã?
- choro porque a única maneira que tenho de transmitir o meu sofrimento é através de uma canção do Graciano Saga.

e, aí e então, deus sentou-se junto dela e chorou também.

[e agora estou eu a chorar porque tive que escrever esta parvoíce duas vezes e acho que a primeira estava melhor]
De guiga a 20 de Maio de 2008 às 10:10
"e, finalmente, mas não num nível de irritância menor, de só aparecerem viseenses na televisão que pronunciam o "s" ápico-alveolar, ou, sendo mais minudente, aquele "s" em que o ápex da língua toca os alvéolos – da boca, pois claro.

Se pudesse, mudava de país durante o Euro, e não digo isto da boca para fora, embora também o diga da boca para fora, uma vez que, e para concuir a aula de fonética, a nossa língua é produzida na expiração."

MAs que é isto???!!! Agora temos de passar a ler o teu blog com um dicionário ao lado??!! Chiça!!! loool
Bom estar de volta!!! hehe

Tenho uma dúvida! Com o acordo ortográfico, continuaremos a produzir a nossa língua por meio de expiração? Ninguém nos explica nada!!! Começo a recear estas coisas! lool

Beijocas! *.*

De Clara Umbra a 20 de Maio de 2008 às 11:35
Bom ter-te de volta! ;)

Já ontem te li... mas ouvir falar de férias quando a malta está a trabalhar... deprime-me, logo, não tive espírito para dizer nada! Eu sou assim: só a minha felicidade me interessa, a dos outros deprime-me... mas, também, tudo me deprime...
De puxe-pasola a 20 de Maio de 2008 às 11:48
Eu gosto de tudo isso porque é tudo muito neo-realista.
De Clara Umbra a 20 de Maio de 2008 às 14:42
Yap! La Rabia... grrr!
De sangue azul a 20 de Maio de 2008 às 14:40
Eu confesso que adorei quando o repórter da SIC disse que a cidade de Viseu estava toda engalanada para receber os jogadores. Percebi o erro: ele queria dizer que a cidade estva toda enganada.
Quanto ao golfe estar fechado, só posso exprimir um desejo: espero que eles não comam a relva!
De Clara Umbra a 20 de Maio de 2008 às 14:46
Guiga, moyle, puxe, sangue azul... os amigos aparecem nas horas difíceis... praze the Lord! :)

Também ouvi essa do "engalanada", mas achei que ela queria dizer que a cidade de Viseu estava "enlatada" para os receber...
De puxe-pasola a 20 de Maio de 2008 às 17:40
Entalada.
De Clara Umbra a 20 de Maio de 2008 às 22:11
Entolada.
De Moyle a 20 de Maio de 2008 às 22:37
Enlutada [dêem-lhe tempo]
De puxe-pasola a 21 de Maio de 2008 às 01:18
Entulhada! Entulhada!
Fiz linha! U-hu!

Comentar post

INTRO

DISCLAIMER

Este é um blogue de ficção. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, factos ou situações da vida real terá sido mera coincidência. Ou fruto da imaginação do(a) leitor(a) - o que é bom.

DOWNBEAT

SEHNSUCHT

BACKYARD

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Dezembro 2015

Julho 2015

Maio 2015

Dezembro 2014

Setembro 2014

Fevereiro 2014

Dezembro 2013

Julho 2013

Novembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

EMBERS

blogs SAPO

subscrever feeds

Sitiométrio

Add to Technorati Favorites