Quinta-feira, 6 de Novembro de 2008

Fisicamente (parte 3 e 1/8 - o inestimável contributo dos leitores)

«Parece-me um caso típico de focalização interna, a tender para o omnisciente. Consulte um bom narratologista.» – disse o sangue azul e eu não podia desperdiçar uma tirada destas.

publicado por Clara Umbra às 00:56
link do post | comentar
9 comentários:
De Moyle a 6 de Novembro de 2008 às 01:24
o sangue azul teria pinta de Pulido Valente se a Clara tivesse pinta de Sousa Tavares. felizmente não me parece o caso.
De Clara Umbra a 6 de Novembro de 2008 às 12:05
He he he!
Eu sou muito mais bonita do que o Sousa Tavares e um bocadinho menos parva... Quanto ao sangue azul, ele que se defenda, mas tem alguma pinta de Pulido Valente, tem... e olha que eu gosto bastante do Pulido Valente e do seu... "cepticismo estético"...? [estou a parafrasear, aldrabando, uma caracterização dele que li por estes dias].
De Moyle a 6 de Novembro de 2008 às 12:08
só um bocadinho menos parva? vê lá isso porque ele é tão parvo que só um bocadinho a menos é mau sinal:)
De Clara Umbra a 6 de Novembro de 2008 às 21:37
A minha honestidade sempre me deitou a perder...
De sangue azul a 6 de Novembro de 2008 às 15:27
Desculpem, mas eu não polemizo.
Aliás, já sei como é que a história acaba: eles descobrem que são irmãos e o avô morre de uma apoplexia. Previsível.
De Clara Umbra a 6 de Novembro de 2008 às 21:47
Quase: eles são irmãos gémeos siameses, aquelas partes da cabeça onde não lhes nascia cabelo por causa das cicatrizes sempre os tinham intrigado, mas nas instituições onde cresceram sempre lhes disseram que eram das cabeçadas que davam nas paredes. O avô morre de apoplexia depois de dois AVC e de ter sido atropelado por um comboio (o segundo AVC foi à beira da linha). Tudo isto contado de forma honesta e crua, que me repugna a literatura que arma ciladas ao leitor emocionando-o. Uf! Que canseira!
De guiga a 6 de Novembro de 2008 às 15:44
Eu disse-te que isto me deixava assustada!
*.*
De Clara Umbra a 6 de Novembro de 2008 às 21:49
Sem razão! Afinal, os irmãos encontram-se e o avô não morre, apenas fica um vegetal. Os irmãos sempre haviam acalentado o sonho de se dedicar à agricultura biológica!
De Moyle a 7 de Novembro de 2008 às 01:20
a parte mais difícil de comer num vegetal foi sempre a cadeira de rodas

Comentar post

INTRO

DISCLAIMER

Este é um blogue de ficção. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, factos ou situações da vida real terá sido mera coincidência. Ou fruto da imaginação do(a) leitor(a) - o que é bom.

DOWNBEAT

SEHNSUCHT

BACKYARD

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Dezembro 2015

Julho 2015

Maio 2015

Dezembro 2014

Setembro 2014

Fevereiro 2014

Dezembro 2013

Julho 2013

Novembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

EMBERS

blogs SAPO

subscrever feeds

Sitiométrio

Add to Technorati Favorites